THOUSANDS OF FREE BLOGGER TEMPLATES

segunda-feira, 28 de abril de 2008

Espezinhar é a Palavra

Quero um mata-moscas gigante para o aplicar a homens.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

quinta-feira, 24 de abril de 2008

Hide


Where are we?
What the hell is going on?
The dust has only just began to form crop circles in the carpet,
Sinking... Feeling...
Spin me 'round again and rub my eyes;
This can't be happening.
When busy streets a mess with people
Would stop to hold their heads heavy
Hide and Seek
Dreams are sewing machines
All those years;
They were here first.
Oily marks appear on walls
Where pleasure moments hung before
The takeover, the sweeping insensitivity of this still life Hide and Seek Dreams are sewing machines
(Oh, you won't catch me around here)
Blood and tears (huh) they were here first.
Mm what you say
Oh that you only meant well, well of course you did
Mm what you say
Mm that it's all for the best, of course it is
Mm what you say
Hmm that IT'S JUST-a-what we need, you decided this (we, you)
Mm what you say
Hmm what did she say?
Ransom notes keep falling out your mouth
Mid-sweet talk, newspaper word cut outs (paper word cut outs)
Speak no feeling no i don't believe you (I don't buy it)
You don't care a bit
you don't care a bit
Ransom notes keep falling out your mouth (Hide and Seek)
Mid-sweet talk, newspaper word cut outs
Speak no feeling no i don't believe you (Hide and Seek)
You don't care a bit
you don't care a bit
You don't care a bit (Hide and Seek)
You don't care a bit, no
You don't care a bit
Mm, no, you don't care a bit
You don't care a bit
You don't care a bit

(SISRATAC)ex-PERIMENT #1 Getting Closer

video

quarta-feira, 23 de abril de 2008

This Means War

Agora é só entre nós os dois. Está na hora de ajustar contas...

Not


"Sans toi, les émotions d'aujourd'hui ne seraient que la peau morte des émotions d'autrefois"

Mais Uma Vez a Última Cena


"It always fascinated me how people go from loving you madly to nothing at all, nothing. It hurts so much. When I feel someone is going to leave me, I have a tendency to break up first before I get to hear the whole thing. Here it is. One more, one less. Another wasted love story. I really love this one. When I think that its over, that I'll never see him again like this... well yes, I'll bump into him, we'll meet our new boyfriend and girlfriend, act as if we had never been together, then we'll slowly think of each other less and less until we forget each other completely. Almost. Always the same for me. Break up, break down. Drunk up, fool around. Meet one guy, then another, fuck around. Forget the one and only. Then after a few months of total emptiness start again to look for true love, desperately look everywhere and after two years of loneliness meet a new love and swear it is the one, until that one is gone as well. There's a moment in life where you can't recover any more from another break-up. And even if this person bugs you sixty percent of the time, well you still can’t live without him. And even if he wakes you up every day by sneezing right in your face, well you love his sneezes more than anyone else's kisses. "

I Don't Love You Anymore. Goodbye


sexta-feira, 18 de abril de 2008

Desabafo

Sendo eu obcecada com a verdade, tendo sempre a questionar tudo ao mais ínfimo pormenor, quase obsessivamente, perdendo horas e horas de sono com o cérebro a trabalhar a 1000/h, e quando finalmente adormeço, as obsessões continuam lá.
Tou cansada de sonhos e pesadelos e de me lembrar constantemente deles, é exaustivo...
A mente humana tem realmente algo de curioso e abominável. Passamos a vida a questionar e a tapar buracos quando não obtemos respostas, e mesmo quando as obtemos preferimos dar lugar à ignorância. É tudo tão mais fácil.
A partir duma certa idade olhamos para os mais novos como medida do nosso envelhecimento. Obrigamos as crianças a retraír as suas capacidades - "Não faças isso porque não vais conseguir" - a atrasar o seu crescimento - "Eles crescem tão depressa, essa roupa é só para crescidos" (referindo-se a um vestido para um bébé de 2 meses..) para que não nos façam sentir mais velhos e cada vez mais perto do fim.
Passamos a vida inteira em busca de certezas, garantias, seguranças e passamos a vida inteira com medo da única certeza que a vida nos dá, a morte.
Passamos uma vida inteira a construir um estilo de vida que nos foi incutido, a construir alguma coisa que eu não percebo bem o quê ou porquê...a obter bens materiais, carros topo de gama, casarões, casas de férias e roupa de marca que nos custam os olhos da cara, para nos endividarmos e ficarmos a pagar por isso o resto da vida. Mas na realidade tudo isso fica cá quando morremos, e não são, com certeza, essas coisas que nos vão passar pela cabeça nos últimos momentos de consciência.
A raça humana é realmente egocêntrica e problemática. A raça humana, a raça superior. Tudo por causa dum abcesso que se desenvolveu no nosso cérebro, o chamado lobo frontal - aquilo que nos faz pensar, aquilo que nos faz questionar, aquilo que nos faz ter crises existenciais, aquilo que nos faz julgar, aquilo que faz sentir o centro do mundo, aquilo que nos faz problematizar-tudo-e-mais-alguma-coisa-para-que-tudo-fique-explicadinho com lógica e fórmulas matemáticas. Porque se assim não fosse, viveriamos em constante pânico. Porquê? Porquê? Porquê a origem da vida?
Ah! Deus...claro!Deus é a resposta! Sim! O pânicozinho que sentimos em relação ao desconhecido pode ser amenizado se nos mentalizarmos que existe algo superior a nós que nos criou. Agora, não precisamos de pensar mais na origem da nossa existência porque está tudo escrito num livro repleto de incongruências e teorias sem sentido absolutamente nenhum. Existe qualquer coisa que não vemos, nem temos bem a certeza, que nos criou e que nos deu uma espécie de missão num Planeta, de um vasto vasto Universo, chamado Terra. Assim, é tudo muito mais fácil. Assim podemos voltar às futilidades da vida, centrarmo-nos nos nossos problemas pessoais gravíssimos sem termos de pensar que há quem esteja pior que nós no mundo. Não, Deus tem uma missão para esses também, não precisamos de pensar nisso. Nem no aquecimento global, porque isso é só uma teoria.
O que mais me reconforta, e assusta ao mesmo tempo, é pensar que no meio de biliões de seres no planeta, sou apenas uma migalhinha quase quase invisível num sistema solar, numa galáxia no meio de tantas outras, no universo inteiro. Sou um átomo ou uma célula de um ser gigante ou infinito. Não sou nada. Sou apenas eu, sem respostas, porque tudo o que me incutiram eu escolhi não aceitar à primeira.
Nunca hei-de viver uma vida tranquila, porque sei que nada é garantido e tudo pode acabar de um momento para o outro, quando menos esperarmos. Até poderia viver bem com isso, se não existissem ligações emocionais. Isso sim, estraga tudo...


quarta-feira, 16 de abril de 2008

System Reboot

A partir de agora.
Hoje recomeço sozinha.
Voltei ao ponto de partida.
Vou ligar o modo headphones.
Até um dia.

terça-feira, 15 de abril de 2008

UUUuuuuuuuu.................

segunda-feira, 14 de abril de 2008

quarta-feira, 9 de abril de 2008

SIXTY CUPS OF COFFEE Directed by David Andrew Ward

SIXTY CUPS OF COFFEE

quinta-feira, 3 de abril de 2008

la la laa laaaaaaaaaaaa yeah yeah yeah

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Estradas em Lisboa...........

It was just PERFECT..



hum...Deste ângulo, parece-me que pode ter sido o cabeçudo a filmar...

Alinhamento

Silence
Hunter
Mysterons
The Rip
Glory Box
Numb
Magic Doors
Wandering Star
Machine Gun
Over
Sour Times
Only You
Nylon Smile
Cowboys

Encore


Threads
Roads
We Carry On

terça-feira, 1 de abril de 2008

Esta é a Paula

Paula é uma espécie de rapariga, introvertida, de poucas palavras, que pouco faz se não andar em loop pela rua... infelizmente não dá para pôr a Paula em loop aqui!
video

Off the Line

video

"Each way I turn, I know I'll always try
To break this circle that's been placed around me

From time to time, I find I've lost some need
That was urgent to myself, I do believe

No, I've never met anyone quite like you before"

Queres ir Lanchar Comigo?




in possível

Pensei, suspirei, acreditei, quis saber, não gostei de saber, mas ouvi...ouvi até ao fim, até não dar mais, não quero ver mais assim. e tu?

1 ano, 1 pequeno faits-divers

Faz um ano hoje, dia 1 de Abril de 2008, que este blog foi criado.
Para comemorar, uma pequena confissão....
Este blog é mentira. É um blog-fictício, na realidade nunca existiu...
Lamento informar-vos apenas agora, e ter-vos iludido durante tanto tempo, mas é esta a verdade!
Este blog não existe...